Grande Oriente Paulista

Grande Oriente Paulista
GOP
Lema: Soberania - Lealdade
Fundação: 04 de agosto de 1981 (41 anos)
Jurisdição: São Paulo
Sede: Rua Barão de Tatuí, 94, Santa Cecília
São Paulo, São Paulo  Brasil
Primeiro Grão Mestre: José Frederico Zanini
Grão-Mestre Atual: Fernando Fernandes
Número de Lojas: 307
Número de Afiliados: 8430


O Grande Oriente Paulista (GOP ou GOP-SP) é uma Potência Maçônica brasileira (associação de Lojas Maçônicas, também chamada de Obediência Maçônica), fundada em 1981, após a cisão ocorrida em 1973 no Grande Oriente do Brasil (GOB). Em 04 de agosto de 1981, 58 Lojas Maçônicas advindas do GOB assinaram a sua ata de fundação. Alguns dias após, somaram-se outras Oficinas, num total de 67 Lojas. O Grande Oriente Paulista é fundador da Confederação Maçônica do Brasil (COMAB) – Confederação Maçônica do Brasil, entidade nacional que congrega as obediências comumente chamadas de "independentes", vinculadas ou derivadas do cisma de 1973.

Parte da série sobre
Maçonaria
Masonic SquareCompassesG.svg
Square compasses.svg Portal
  • v
  • d
  • e

Histórico

Em 27 de março de 1973, realizaram-se eleições para os cargos de Grão-Mestre Geral e Grão-Mestre Geral Adjunto do Grande Oriente do Brasil. Proclamada a eleição dos candidatos oficiais, inconformados com a decisão, dez Grandes Orientes Estaduais, federados ao Grande Oriente do Brasil, desligaram-se deste proclamando-se Obediências autônomas e independentes, expondo as razões por que o faziam.

Em 4 de agosto de 1973, fundou-se, em Belo Horizonte (MG), o Colégio de Grão-Mestres da Maçonaria Brasileira, congregando, então, as dez Obediências dissidentes São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso, Santa Catarina e Rio de Janeiro, então dissidentes do Grande Oriente do Brasil.[1]

A disputa pelo nome "Grande Oriente de São Paulo" se estendeu entre 1973 e 1981 entre os maçons que cismáticos e os que preferiram se manter no Grande Oriente do Brasil, encerrando-se a questão com a fundação do Grande Oriente Paulista. O Grande Oriente de São Paulo se desfiliaria em 2018 do Grande Oriente do Brasil, estabelecendo uma nova obediência sem vínculo ou reconhecimento mútuo com o GOB ou com o GOP-SP.

Organização

O Grande Oriente Paulista se organiza no formato de Grande Oriente (ver: Obediências Maçônicas), com o Poder Executivo organizado em Grão-Mestrado e Grandes Secretarias (que formam, juntamente com outros 7 representantes nomeados o Ilustre Conselho Deliberativo) e Delegacias; o Poder Legislativo é exercido pela Poderosa Assembleia Legislativa, onde cada loja tem o direito de eleger um deputado. O Judiciário é formado pelo Ministério Público Maçônico, o Egrégio Tribunal de Justiça Maçônica, o pelo Superior Tribunal de recurso da Justiça Maçônica.

Afiliações e relacionamento

O Grande Oriente Paulista é fundador e filiado à Confederação Maçônica do Brasil e filiado à Confederação Maçônica Interamericana[2], entidade internacional que congrega potências regulares das Américas e da Europa. Também participa da World Conference of Regular Masonic Grand Lodges.

O Grande Oriente Paulista é reconhecido e reconhece centenas de potências maçônicas regulares do Brasil e de outros países. Em 2019, após décadas de aproximações e distensões, foram assinados tratados de reconhecimento e relações fraternais com a Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo (22/03/2019)[3] e com o Grande Oriente do Brasil (30/03/2019)[4], colocando fim às questões que levaram à cisão de 1973 e sendo um marco da pacificação da Maçonaria regular do Brasil, havendo a celebração de tratados entre praticamente todas as potências pertencentes à COMAB e Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, além do GOB.

Instituições paramaçônicas

O Grande Oriente Paulista reconhece e apoia e participa de inúmeras entidades Paramaçônicas como a Ordem DeMolay no Brasil, Ordem Internacional das Filhas de Jó, a Ordem Internacional do Arco-Íris para Meninas, o Shrinerse o Moto clube Bodes do Asfalto. O Grande Oriente Paulista também promove a adoção de Lowtons.[5]

Ritos

O Grande Oriente Paulista possui lojas que trabalham nos seguintes ritos: Rito Escocês Antigo e Aceite, Rito Moderno, Ritual de Emulação, Rito de York, Rito Brasileiro, Rito Adonhiramita e Rito Schröder.

Grão-Mestres

Fundado o Grande Oriente Paulista em 1981 e promulgada sua constituição em 1983, foi instalada uma junta governativa no período de 1983 a 1984, cujo presidente foi o José Frederico Zanini.

A partir do ano de 1984 ocorrem as eleições gerais no GOP, passando a ocupar o cargo de Grão-Mestre do Grande Oriente Paulista:

  • 1984-1989   José Frederico Zanini
  • 1989-1995   José Mattos Silva
  • 1995-2001   Arnaldo Faria
  • 2001-2004   José Mattos Silva
  • 2004-2007   Durval de Oliveira
  • 2007-2010   José Maria Dias Neto
  • 2010-2013   Jurandir Alves de Vasconcelos
  • 2012-2013   Paulo de Tarso Carletti (interino)
  • 2013-2016   Jurandir Alves de Vasconcelos
  • 2016-2019 Pascoal Marracini
  • 2019-2022 Fernando Fernandes


Referências

  1. «História da COMAB». Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasol. Consultado em 30 de janeiro de 2019 
  2. «Zonas e membros». Confederação da Maçonaria Interamericana. Consultado em 30 de janeiro de 2019 
  3. «TRATADO DE AMIZADE E RECONHECIMENTO MÚTUO ENTRE A GLESP E O GOP». Grande Oriente Paulista. 27 de março de 2019. Consultado em 30 de janeiro de 2019 
  4. «Tratado de Mútuo Reconhecimento e Amizade» (PDF). Grande Oriente do Brasil. 30 de março de 2019. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  5. «História do GOP». Grande Oriente Paulista. Consultado em 30 de janeiro de 2019 

Ligações externas

  • Página oficial do Grande Oriente Paulista
  • Página da Confederação Maçônica do Brasil
  • Página da Confederação Maçônica Interamericana
Ícone de esboço Este artigo sobre Maçonaria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.