Espécie vulnerável

Estado de conservação
O Sapo-dourado, visto pela última vez em 15 de Maio de 1989
Por risco de extinção
Extinto
Ameaçada
Baixo risco
Outras categorias

Ver também
Lista Vermelha da IUCN
União Internacional para a Conservação
da Natureza e dos Recursos Naturais
ExtinçãoExtinçãoEspécie extinta na naturezaCriticamente em perigoEspécie em perigoEspécie vulnerávelQuase ameaçadaEspécie ameaçadaPouco preocupantePouco preocupanteIUCN conservation statuses
  • v
  • d
  • e

Uma espécie é considerada vulnerável pela IUCN como provável em se tornar em perigo a menos que suas condições de ameaça diminuam. Há cerca de 4 728 animais e 4 914 plantas consideradas vulneráveis atualmente.[1]

Vulnerabilidade é causada principalmente pela perda de habitat ou destruição. Espécies vulneráveis são monitoradas e são consideradas ameaçadas. Entretanto, algumas espécies vulneráveis são abundantes em cativeiro, como por exemplo dendrobates azureus.

De acordo com a IUCN, são usados muitos critérios para considerar uma espécie como vulnerável.

Um táxon é vulnerável quando não está criticamente em perigo ou em perigo mas enfrenta um grave risco de extinção em estado selvagem a médio prazo, como definido pelos seguintes critérios (A a E):

A) Redução da população na seguinte forma:

  1. em observada, estimada, inferida ou suspeita redução de pelo menos 20% nos últimos 10 anos ou três gerações, baseado no seguinte:
    1. observação direta;
    2. um índice de abundância apropriado para o táxon;
    3. um declínio na área de ocorrência, extensão da ocorrência e/ou qualidade do habitat;
    4. níveis reais ou potenciais de exploração;
    5. efeitos de espécies introduzidas, hibridização, patógenos, poluentes, competidores ou parasitas.
  2. uma redução de pelo menos 20%, projetada ou suspeita para ocorrer nos próximos 10 anos ou três gerações, baseado em (b), (c), (d) ou (e) acima.

B) Ocorrência atual estimada em menos de 20 000 km² ou área de ocorrência estimada para menos de 2 000 km², e estimativas indicando qualquer um dos dois seguintes fatos:

  1. severamente fragmentado ou existência em não mais do que dez localidades;
  2. declínio contínuo, inferido, observado ou projetado, ou qualquer um dos:
    1. extensão da ocorrência;
    2. área;
    3. área, extensão ou/e qualidade do habitat.
    4. número de locais ou subpopulações;
    5. número de indivíduos adultos.
  3. flutuações extremas em qualquer um dos:
    1. extensão da ocorrência;
    2. área de ocupação;
    3. número de locais ou subpopulações;
    4. número de indivíduos adultos.

C) População estimada em menos de 10 000 indivíduos adultos ou:

  1. um declínio contínuo de pelo menos 10% dentro de 10 anos ou três gerações, futuramente ou;
  2. um contínuo declínio, observado, projetado ou inferido, em número de indivíduos maduros e estrutura populacional na forma de:
    1. severamente fragmentado (i.e. nenhuma subpopulação estimada contém mais do que 1000 indivíduos adultos);
    2. todos os indivíduos em uma única subpopulação.

D) População muito pequena ou restrita na seguinte forma:

  1. população estimada em menos de 1 000 indivíduos maduros;
  2. população é caracterizada por uma restrição aguda em sua área de ocorrência (tipicamente menos de 100 km²) ou o número de localidades (tipicamente, menos que cinco); tal táxon pode ser susceptível ao efeito de atividades humanas (ou eventos estocásticos cujo impacto é maior com a somatória de atividades humanas) dentro de um curto período de tempo e portanto, é capaz de se tornar criticamente em perigo ou até mesmo extinto em curto prazo.

E) Análises quantitativas mostrando a probabilidade de extinção em liberdade em pelo menos 10% para os próximos 100 anos.

Ver também

Referências

  1. IUCN (2012). «IUCN Red List version 2012.2: Table 2: Changes in numbers of species in the threatened categories (CR, EX, VU) from 1996 to 2012 (IUCN Red List version 2012.2) for the major taxonomic groups on the Red List» (PDF). Consultado em 31 de dezembro de 2012 

Ligações externas